DE MEDELLÍN AO SÍNODO DA JUVENTUDE 2018 - UMA OPÇÃO PREFERENCIAL PELA JUVENTUDE LATINO-AMERICANA

  • Pamela Santos
Palavras-chave: Medellín, Sínodo 2018, Juvenude, América Latina, Pastoral

Resumo

Há cinquenta anos a Igreja da América Latina reunida em Medellín fazia uma opção preferencial pela juventude, onde ela passa a olhar para os jovens com carinho de maneira afetiva e principalmente de maneira efetiva. Ao fazer tal opção, a Igreja latino-americana traça no chão sagrado desse continente uma nova maneira de ser e de fazer, a Igreja passa a caminhar com os jovens, senta-se com eles na mesma mesa e de mãos dadas passa a orientá-los em seu projeto de vida e vai junto com essa juventude enfrentar as lutas pela vida, por direitos e por protagonismo. Após esse percurso, a Igreja de todo mundo, convocada por Papa Francisco, tem como tema central de discussão e reflexão a pauta juvenil. Motivada pelas mesmas reflexões de Medellín a Igreja quer rever como tem sido sua caminhada e seu trabalho para com a juventude por todo o mundo. Sem dúvidas é um momento muito marcante para as pastorais e movimentos que trabalham com a juventude e para as lideranças religiosas, pois, ao disponibilizar um questionário para todos os grupos, a Igreja abre um momento raro de diálogo, permitindo ter uma real visão da conjuntura pastoral. Há muito que se refletir a partir de Medellín e a partir das discussões que já envolvem e se realizam a partir do Sínodo da Juventude. Se esses marcantes acontecimentos possuem uma relação é o que veremos ao decorrer do texto, mas desde já podemos afirmar que o mesmo Espírito profético que impulsionou e iluminou Medellín tem iluminado o pontificado de Francisco ao trazer como reflexão a juventude.

Biografia do Autor

Pamela Santos

Mestranda em Teologia pelo Programa de Estudos Pós-Graduados em Teologia da Pontifícia
Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Graduada em Teologia pela Faculdade Dehoniana.
Membro do Grupo de Pesquisa Religião e Política no Brasil Contemporâneo da PUC-SP, liderado pelo
Prof. Dr. Ney de Souza.

Publicado
05-03-2019