A EDUCAÇÃO NO DOCUMENTO DE MEDELLÍN - UMA PRÁTICA LIBERTADORA

  • Marcel Alves Martins
Palavras-chave: Educação libertadora, Desenvolvimento integral, Medellín, Concílio Vaticano II

Resumo

A educação libertadora é um conceito utilizado na II Conferência do Episcopado Latinoamericano, reunida em Medellín em 1968. Partindo de uma recepção criativa do Concílio Vaticano II, de modo especial dos conceitos de Aggiornamento, diálogo e de educação integral, e da realidade da América Latina. Medellín fez uma análise crítica da situação educacional latino-americana, que mantém o domínio, a opressão e as injustiças que aflige esses povos, e propõe uma educação contextualizada, problematizadora, que torne os indivíduos autores e atores de sua própria história e os leve ao desenvolvimento integral: a educação libertadora. O presente artigo apresenta os elementos constitutivos dessa concepção de educação, resgatando brevemente os elementos que a compõem e ressaltando sua relação com as opções fundamentais, de modo especial a opção pelos pobres e a libertação, e reflexões desenvolvidas em Medellín.

Biografia do Autor

Marcel Alves Martins

Mestre em Educação pela PUC-SP. Formado em História e Filosofia. Graduando em Teologia pela PUCSP. Atua na área da Educação, com experiência no ensino fundamental e médio, na formação de professores, na gestão pedagógica de projeto de EJA a distância e como docente em curso livre de teologia para leigos. Membro do Grupo de Pesquisa Religião e Política no Brasil Contemporâneo da PUC-SP, liderado pelo Prof. Dr. Ney de Souza

Publicado
05-03-2019